Intolerância à frutose

A intolerância hereditária à frutose ou frutosemia é um ‘erro inato do metabolismo’, ou seja, pertence a um grupo de doenças genéticas nas quais há deficiência em alguma via metabólica envolvida na produção, transporte ou na degradação de uma determinada substância.

Os sintomas clínicos que se manifestam após a ingestão de frutose, ou outros tipos de açúcares como sacarose e sorbitol, em pacientes portadores da intolerância, incluem dor abdominal severa, náuseas, vômitos, lesão do fígado, irritabilidade, hipoglicemia severa, convulsão e até mesmo o coma.

Já a mau absorção de frutose, é mais comum e se caracteriza por um distúrbio digestivo em que a absorção de frutose é prejudicada por defeitos nos transportadores de frutose nos enterócitos do intestino delgado. Isto resulta num aumento da concentração de frutose em todo o intestino.

Neste caso, existe uma sensibilidade do intestino em virtude das alterações fisiopatológicas intra-luminais, as quais são provocadas pela fermentação bacteriana sobre o substrato não absorvido. Por isso muitas vezes a essa má absorção a frutose está associada a doença celíaca, síndrome do intestino irritável ou outra situação em que o intestino esteja sensível ou inflamado. Portanto é essencial tratar a primeira causa que provavelmente desencadeou a intolerância a frutose – muitas vezes associada a intolerância a lactose também – , reestabelecer a flora bacteriana intestinal saudável e recuperar a mucosa intestinal para assim melhorar a absorção desse substrato e voltar incluir os alimentos fonte de frutose na dieta.

Quando a frutose não absorvida no intestino delgado é fermentada por bactérias da microflora colônica acarretando a produção de gases que é uma das principais queixas desses pacientes.

Diagnóstico:

– Teste de H2 expirado com sobrecarga oral de frutose;

– Teste de tolerância a frutose com sobrecarga oral de frutose e queda de glicose plasmática;

– Genético e biopsia do fígado, quando a suspeita é de frutosemia.

Alimentos ricos em frutose que devem ser evitados conforme cada caso e com orientação do nutricionista:

– Açúcar/ sacarose;

– Sorbitol e frutose (usada para adoçar produtos industrializados);

– Frutas em geral (limão e abacate ter teor mais baixo de frutose);

– Mel, melaço, caldo de cana;

– Vegetais coloridos como: beterraba, cenoura, abóbora e tomate;

– Leguminosas como o feijão e ervilhas (deve ser avaliado pelo profissional). Muitas vezes somente deixando de molho diminui formação de gases e melhora a aceitação.

Leticia Ciffarello Guilger
Nutricionista Funcional
CRN 1- 6811

1 responder
  1. Patricia Theodoroviz Montandon
    Patricia Theodoroviz Montandon says:

    Adorei a explicação, meu filho tem 13 anos e está intolerante a frutose a 2 anos, estou tratando com homeopatia e usando probióticos.

    Responder

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *